Existem várias histórias sobre a verdadeira origem da pizza. Alguns dizem que a pizza teria origem egípcia, outros afirmam que ela teria sido criada pelos fenícios.

Mas na verdade, a pizza vem de um prato chamado picea, feito em Nápoles por volta do ano 1000. A picea era feita à base de massa fina, cortada em tiras e
era vendida pelas rua de Nápoles, que mais tarde transformou-se em PIZZA.

As pizzas eram criadas combinando com massa plana, em forma de disco, sobre a qual juntavam anchovas, alho, azeite (óleo de oliva), muzarela e peixes pequenos,
chamados de cicinielli.

Pietro Colicchio abriu a primeira pizzaria napolitana em 1780 - a Pietro. Como não possuia herdeiros, a pizzaria passou para Eurico Brandi.

A Pizzeria Pietro foi herdada pela filha de Brandi, Maria Giovanna, que casou-se com Dom Rafaele Esposito.

O Rei Umberto I e a Rainha Margherita de Sabóia moravam com a sua família no parque de Capodimonte. Ela ouvira falar muito sobre a pizza e, num verão por volta do fim de 1800, decidiu experimentá-la.

Dom Esposito foi chamado e ofereceu ao casal real vários tipos de pizzas, mas a que mais agradou a rainha foi uma pizza com um recheio que acabara de inventar, à base de molho de tomate, queijo, muzarela e manjericão fresco, que irradiava as três cores nacionais da Itália, verde-branco-vermelho. Surgia assim a pizza Margherita, em homenagem à rainha apreciadora de pizza.

Em 1830, também em Nápoles, foi criado a pizzaria Port’Alba, onde se reuniam artistas plásticos, poetas, escritores e por gente importante da época.

Um prato tão delicioso, que até os reis e nobres caíram em tentação. Acabaram dando importantes contribuições usando a calabresa e os ovos para enriquecer mais aquela massa.

Concursos foram feitos nas cortes e cozinheiros famosos inventavam sabores para homenagear rainhas.